Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

MATURIDADE INGÊNUA

Esta noite recebi uma visita. 
Estava às voltas com os meus pensamentos quando fui surpreendida por um belo poema. 
Sua beleza era magnífica, sua métrica era perfeita. 
Fiquei encantada com sua aparência, mas ao mesmo tempo me senti triste, angustiada! Embora ele fosse lindo e magnífico, eu não o entendia e isso me trouxe frustação.
Uns segundos mais tarde, na loucura insana de tentar entender o que se passava em minha mente,  consegui compreender que aquele intrigante poema que, tal qual uma libélula dançante, brincava ao meu redor estava na verdade  querendo me informar de alguma coisa. 
Ora! Agora eu realmente precisava compreendê-lo!
Ele estava falando uma outra língua e as minhas buscas, por mais que fossem significativas acabavam ficando pelo meio do caminho. Ate que...
Ele me surpreendeu! 
Como num passe de mágica, suas palavras foram se esclarecendo, suas colocações foram tomando sentido e eu compreendi que estava ganhando um presente e este presente estava guardado dentro de uma caixa vermelha, que delicadamente havia sido colocada aos pés da minha cama.
Após me entregar a linda caixa o poema começou a se despedir. Estava indo embora... Mas ainda deixou a mim suas últimas palavras, as quais diziam assim:
 - Receba a sua maioridade, mas NUNCA deixe de lado a sua ingênua curiosidade infantil!
Acordei! Querem saber qual era a minha supresa?! 
Era 2 de outubro, dia em que, mais, uma primavera se apresentava à minha vida e desta vez o tema da festa era responsabilidade. 
Minha maior idade havia chegado e graças àquele lindo poema eu pude e estou podendo me apropriar dela , sem perder a essência da minha alma, que foi, é, e sempre será de uma criança. 

Abraços

8 comentários:

Í.ta** disse...

receber visita de poema. não há nada melhor :)

Vanessa G. Vieira disse...

Sem dúvida! Abraços

Lau Milesi disse...

Olá Vanessa, que linda sua prosa! Deve ser uma delicia, receber visita de poema. Os sonhos são assim mesmo, cheios de linguagens que, muitas vezes, nos deixam atordoadas na manhã seguinte, não é? Adorei saber que você também é do clube dos que guardam para sempre os conteúdos infantis. :)Eu já sou avó e não abro mão de continuar a ser uma criança. :) Parabéns, adorei estar aqui.

Um beijo

E.T. Desculpe não ter vindo antes, tenho trabalhado muito nesses últimos meses.Obrigada por estar na lista de amigos do meu blog. Volte quando puder, será um prazer te receber.

Pablo Rocha disse...

Sou como você, Vanessa. Sempre busco incansavelmente o sentido das coisas que se apresentam a mim.
Gostei demais do seu texto, da forma leve como conduz os fatos, apontando a resposta no fim. Sejas sempre curiosa, menina.

Beijos!

Ps. Parabéns atrasado pelo niver. Felicidades!

Vanessa G. Vieira disse...

Olá Lau. Os conteúdos infantis são sem dúvida motivantes. Adorei receber sua visita

Nirton Venancio disse...

Vanessa, grato pela visita e seu carinho ao meu blog. Vou atrás dos seus agora.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

deixar de lado olhares da infÂncia é correr o risco de a tudo estar ligado sem do real prazer nada sentir...é a crinça que nos diz o quanto estamos nus e por vezes pensamos estar em linho nobre

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

deixar de lado olhares da infÂncia é correr o risco de a tudo estar ligado sem do real prazer nada sentir...é a crinça que nos diz o quanto estamos nus e por vezes pensamos estar em linho nobre